terça-feira

VIVER O LEVE LEVE

A ilha de São Tomé foi descoberta em 21 de Dezembro de 1470, dia de S. Tomé, e a do Príncipe em 17 de Janeiro de 1471, por marinheiros portugueses. Inicialmente, as ilhas estavam desertas. O seu povoamento oficial iniciou-se em 1485, quando D. João II doou a ilha de S. Tomé ao fidalgo D. João de Paiva. Em meados do século XVI, usando escravos africanos, os colonos fizeram daquele local o maior produtor de açúcar do mundo. As ilhas ofereciam também especiarias, tendo-se introduzido algumas culturas levadas de Portugal como a figueira, a vinha e o trigo. No século XIX viu-se uma enorme explosão na produção de café e cacau, com base no trabalho contratado. Após a segunda grande guerra, o nacionalismo desenvolveu-se entre a população local creola tornando-se, desta forma, famosas algumas revoltas de negros, que se recusavam a trabalhar para os portugueses nas plantações de cacau. Em 1960, e na sequência dos movimentos de libertação dos territórios colonizados, surge o Comité de Libertação de S. Tomé e Príncipe que viria, em 1972, dar lugar ao MLSTP (Movimento de Libertação de S. Tomé e Príncipe) liderado por Manuel Pinto da Costa. Após o golpe militar em Portugal, em Abril de 1974, o governo português reconhece o MLSTP como legítimo representante do povo são-tomense e a República Democrática de S. Tomé e Príncipe torna-se num estado independente, a 12 de Julho de 1975.

Praia banana na ilha do príncipe
As tartarugas contam-se entre os répteis mais antigos actualmente existentes e estima-se que elas habitam o planeta há mais de 100 milhões de anos. Das sete espécies de tartarugas marinhas existentes no mundo, pelo menos cinco delas procuram a região do ilhéu das Rolas no sul da ilha de S. Tomé.São Tomé é por isso procurada para a observação das tartarugas marinhas que vêm à costa ao longo do ano para desovar. A observação nocturna da desova das tartarugas é uma actividade de elevado valor educativo pelo facto deste animal ser uma espécie protegida.
Nas praias do norte e sul da ilha, concretamente nas praias de Micoló e Jalé são os locais onde as tartarugas mais frequenta e podem ser observadas durante os meses de Setembro a Abril.

A não perder na=>
Cidade de São Tomé
Um passeio a volta da cidade poderá oferecer vários cenários memoráveis; a zona costeira defronte a baía Ana Chaves seguindo-se pela Avenida 12 de Julho, o forte de São Sebastião edifício do século 16 e actualmente transformado em museu onde alberga um importante espólio da história das ilhas particularmente das roças de cacau e café e o massacre de 1953. À entrada para o museu, estão expostas as estátuas dos navegadores portugueses que descobriram as ilhas.Mais ao norte, a igreja de santa Sé, o palácio presidencial, o edifício do tribunal, a praça da Independência local histórico onde foi proclamada a independência nacional em 12 Julho de 1975 e a casa da cultura retratam a riqueza arquitectónica e paisagística da cidade. No centro a zona comercial habitualmente mais movimentada, encontra-se o Mercado Municipal que expõe uma amostra muito diversificada dos produtos cultivados no interior da ilha.

a proximadamente a sul da lha, encontra-se
uma beleza magnificamente, constituidamente pela naturesa
uma das mas bela da ilha, a praia do micondó, não perder também
um mergulho no prato na Roça são joão dos angolares,propiedade do famoso joão carlos silva,apresentador e cozinheiro do programa televisivo "na Roça com os tachos" e mais recentemente "sal na lingua".É mesmo "leve leve "

Praia clube Santana.

Sobre São Tomé e Príncipe => Clima

O clima é tropical húmido, onde as temperaturas variam entre 21ºC e 27ºC com frequentes precipitações sobretudo no sul da ilha de S. Tomé e no Príncipe. Verificam-se somente duas estações climáticas; seca que ocorre entre os meses de Junho a Agosto localmente conhecida por gravana e a estação da chuva que ocorre nos restantes meses. Ao longo do ano, ocorrem 1760 horas de sol descendo para 1300 horas entre 500 a 1000 metros de altitude. A sua orografia montanhosa proporciona vários microclimas. As zonas mais elevadas têm uma grande pluviosidade podendo atingir 7.000 mm por ano, enquanto que as zonas baixas (Norte e Nordeste) registam menos chuvas sendo genericamente inferior aos 1.000 mm por ano. Eles gostam de ser fotografado.
Roça bela vista

As crinças das zonas rurais, sente-se satesfeito
a chegada dos turistas nas suas zonas elas
ficam satisfeito, e esperam receber alguma coisa,a ida
dos turista elas dizem.. chauêêê..«adeus»
Os meninos das roça adoram doce..
dizem sempre "doce doce" quando passa os turista..
que fazer=>Roças
Encravadas entre vegetação luxuriante, vales e montanhas com cenários imponentes de época colonial, o percurso pelas roças proporcionam experiências únicas como acompanhar a produção do cacau ou do café desde a sua sementeira até à secagem, fenómeno que fez de São Tomé e Príncipe principal produtor mundial em 1913 e daí a denominação ilha chocolate. As roças estão envolta numa atmosfera peculiar e muito diversificada fruto da confluência de pessoas e valores que contribuíram para o seu surgimento.Para melhor viver esta experiência, visite as roças Diogo Vaz, Agostinho Neto, Monte Café e Agua Izé.
Roça bela vista.


Roça são joão dos angolares.

O que fazer norte Praia=> Mergulho
Plantadas no Oceano Atlântico, estas ilhas apresentam praias de areal fino e dourado e água azul-turquesa que convidam muitos a banhos de sol e de mar. A limpidez das águas aliadas ao fundo marinho pouco explorado e temperaturas de água convidativas (temperatura da água igual a temperatura do ar) constituem fortes atractivos a uma incursão nas águas deste Arquipélago. Não se admire que recentemente foram descobertas sessenta novas espécies de peixes dentre as quais uma dezena nunca antes classificada. A existência de recifes e corais no norte da ilha de S. Tomé é igualmente motivo de grande interesse para os observadores e investigadores do fundo marinho. Que bom lagoa azul..


A estação da gravana (de Junho a Agosto) é considerada a melhor época do ano para mergulhos por se verificarem as melhores condições de visibilidade. Podem ser efectuados um pouco por todo o Arquipélago. No entanto, a costa norte e nordeste da ilha de S. Tomé oferecem as melhores condições. Não existem grandes preocupações em relação a tubarões. em baixa da mesmo foto podem ver a maravilhosa cascata bambain. bico de papagaio femia, quando encotra para baixo, e quando encontra para cima é machu

adoro flores´.
reserva natural foi criada em 2006 com o objectivo de proteger a riquíssima biodiversidade existente no Arquipélago. Ocupa uma vasta área de 295 km² compreendendo as duas ilhas. O parque natural “Obô” é um santuário de fauna e flora onde podem ser observadas muitas espécies raras, algumas das quais em vias de extinção. O elevado endemismo que se verifica na floresta são-tomense e a sua importância, levou a que no ano de 1988 a comunidade científica internacional classificasse esta floresta como a segunda mais importante para a conservação da biodiversidade entre 75 florestas africanas.
Está localizada no interior das ilhas, caracterizada por floresta de altitude com precipitações permanentes o que torna algumas das suas extensões de difícil acesso, é o local ideal para o contacto com a biodiversidade existente nas ilhas. O período mais favorável para visitas é durante a estação seca (fim de Dezembro e Janeiro e Junho à Setembro.


São Tomé e Príncipe é considerado por muitos como um dos melhores locais do Mundo para fotografar. A natureza oferece-lhe inúmeros encantos, uma imensa variedade de fauna e flora raras, o fundo marinho pouco explorado constituem motivos de admiração aos mais variados visitantes.

São Tome e Príncipe foi desde cedo uma importante encruzilhada no Oceano Atlântico, africanos de várias origens, portugueses deixaram as suas marcas no que é hoje a cultura são-tomense. Apesar da sua origem miscigenada, o são-tomense é caracterizado como povo pacífico, cortês e muito hospitaleiro.Os aspectos marcantes podem ser observados nos ritmos, pinturas, arquitectura, danças, teatro, gastronomia e no quotidiano da população onde a fé cristã está omnipresente na cultura do povo através da veneração de santos padroeiros das diversas igrejas e ermidas existentes no Arquipélago.